Sunday, December 31, 2006

Saddam Execution Video (full including the drop)

Video completo da Execução de Saddam Hussein. Qualidade ruim. Desculpe, mas foi a melhor que eu achei...

Via Google Videos. Inapropriado para menores.

Tuesday, April 04, 2006

Serial Raper

Essa história trata de um demente pervertido com uma superioridade intelectual assustadoramente peculiar, um indivíduo que além de sociopata conseguia por medo no Batman...

continua...

Saturday, October 22, 2005

Thursday, June 09, 2005

Gatos, um dia mato um.

Eu odeio quem maltrata animais, até quem maltrata gatos, sou incapaz de fazer coisa parecida. Mas alguns gatos merecem, na minha casa tem quatro e é me baseando neles que eu digo isso.

A maior culpada é a Lisa, ela até que é bem ativa pra uma gata, caça passarinho, barata, lagartixa, é carinhosa e, como toda gata, entra no cio regularmente.
Aí que está o problema, o cio das gatas geram atitudes instintivas nesses malditos felinos que geram Gatos, que entram no cio, que geram Gatos que, que geram Gatos, que entram no cio, que geram Gatos que...

O resultado dessa dízima periódica foi o Teobaldo, filho da Lisa, esse escroto é preguiçoso ao extremo, até mesmo para um gato, o Garfield encerrou a carreira quando descobriu que existia um gato mais preguiçoso que ele, esse gato é o Teobaldo, ele só dorme, come e espera o sono chegar, não, ele também toma banho.
Banho?!

Como alguém pode definir aquilo de banho, um bicho que come rato, passarinho e barata e se LAVA com a própria língua, geralmente depois das refeições, é no mínimo nojento, mas sempre tem um besta que beija gatos.

O Teobaldo é tão preguiçoso que me dá mais pena que raiva, de vez em quando ele ensaia algumas brincadeiras de gatos normais (se esfregar nas pernas dos humanos, bater num novelo de lã), mas, ou ele se cansa rápido, ou ele se esquece do que fazer, porque na mesma hora que ele está rolando no chão com algum brinquedo ele já está dormindo como uma almofada com patas e bigodes.

Mas a Lisa não se contentou com o Teobaldo.

Ela deu cria a três criaturas com garras finas e patas geladas, um nasceu morto (eu rezei um terço para isso) e foi devidamente devorado, o dois terços sobrevivente me enchem o saco, não estou agüentando mais, eu vou matar um deles.
Eu os chamo de Ruinzinho e Piorzinho, minha mãe diz que o Piorzinho é fêmea, tinha que ser, nunca vi uma bosta de gato miar tanto e tão alto, o Ruinzinho é mais calado e o bom dele é que ele bate no Piorzinho, que mia mais alto quando está apanhando.

Pra mim gato bom é gato estampado, num papel ou no asfalto com os olhos saltados.

Business

Uma tarde quente como sempre em Hortolândia, mais um que dá esmola para o "Amizade", andarilho conhecido por seu sorriso fácil e papo agradável.

Eu quero saber dele porque sorri tanto mesmo sem nenhum luxo ou expectativa de melhora.
Me aproximo com receio, dou uns trocados e puxo papo, ele é muito amistoso, me senti como se estivesse numa sala confortável e arejada, mas sabia tanto quanto ele que estavamos no cruzamento da Av. da Emancipação com a R. das Flores e o semáforo de lá não estava lucrando como o Amizade esperava.

Perguntei se ele tinha família ou amigos e ele me respondeu com um sorriso largo.

_ Toda planta tem raíz, parceiro.

Nessa hora passou um homem que não retribuiu o cumprimento do Amizade, mas o mendigo continuou.

_ Tá vendo esse cara? Eu era assim, tinha responsabilidades, era mal-educado com quem eu não conhecia, enfim, estava preso nas minhas raízes.

Já não sorria tanto, o Amizade.

_ Não foi por querer que eu vim parar aqui não. Eu perdi tudo que as pessoas dão valor, dinheiro, casa, emprego, tudo. Minha mulher já não me achava atraente, meu patrão já não me achava competente e assim foi, até aqui.

Perguntei como ele perdeu tudo.

_ eu não perdi tudo, só o que as pessoas dão valor... Tudo bem , eu conto, foi assim. Quando querem tomar seu dinheiro, tomam, não tem jeito. Me roubaram no jogo, eu bebia muito, não percebi que me fizeram pensar que era um blefe deles, aí apostei alto, eu tinha certeza que era um blefe e como vê não era. Me lasquei.

E sorriu de novo.

_ Cara foi aí que eu percebi como o mundo é podre, eu estava jogando entre amigos e me roubaram. Minha mulher fingiu estar furiosa e foi embora, graças a Deus.

Eu que sorri nessa hora.

_ É engraçado mesmo, minha mulher não me amava, acho até que casou com um dos caras que me roubaram, VACONA!

Nós dois sorrimos.

_ Na rua eu não tenho que aguentar meu patrão cobrando relatórios e resultados nem minha mulher com crise existencial e TPM, quem se aproxima de mim não está tramando me derrubar, hoje eu não alimento inveja no coração de ninguém. Isso não é bom?

Concordei mas o cara estava empolgado.

_ Roupas, eu ganho da D. Amelia, ela sempre separa roupas usadas do seu filho mais velho, banho, eu tomo uma vez por semana no buteco do Seu Jorge, ele não gosta muito da minha pessoa, mas temos negócios.

Nem precisei perguntar quais negócios.

_ É o seguinte, eu chamo aquilo de buteco, mas aquilo é um restaurante e dos bons, só vai grã-fino, então eu fico lá na frente gritando assim:

_ Ô seu Jorge, cadê meus gatinho? O senhor roubou meus gato, Safado!!! Pra fazer Strogonoff!!! Fritou os bichinho.

_ Tem freguês que ri, mas a maioria vai embora por que acredita no mendigo aqui. Quando eu tô lá na frente ninguém entra lá, caso a estória dos gatos não venha a dar certo eu finjo que estou passando mal e começo a vomitar, quer que eu te mostre?

Neguei prontamente enquanto ele enfiava o dedo na garganta, depois perguntei se o "Seu Jorge" não chamava a polícia.

_ Eu também tenho negócios com a polícia, eu passo informação sobre os traficantes, em troca eles garantem que nada me aconteça enquanto eu procuro meus gatinhos lá no buteco do Seu Jorge.

Mas eu ainda não tinha entendido os negócios dele com o Seu Jorge.

_ Bom, presta atenção, eu espanto a clientela do Seu Jorge e a polícia me defende. Não adianta. O seu Jorge fica na minha mão, então eu almoço, janto e tomo banho lá, ele diz que eu posso tomar mais banhos se eu quiser e até fazer a barba, mas, eu só escovo os dentes. Já imaginou? Como eu iria espantar os clientes estando limpo e de barba feita? O seu Jorge é velhaco.

Eu já estava saindo quando ele disse uma última coisa.

_ Eu sorrio porque sou feliz e sou feliz porque eu sei o que eu tenho, eu sei o que eu quero e sei do que eu preciso.

O cara é um sábio, pensei, quantas vezes eu me vi sofrendo querendo algo de que não preciso e esquecendo o valor das coisas que tenho.

Tristezas à parte, eu tenho que trabalhar!

É ruim no trabalho, pior sem trabalho!

Eu não gosto de acordar cedo, eu não gosto de comer assim que acordo e eu não gosto de tomar banho de manhã, mas tenho que fazer tudo isso por uma razão.

Trabalho!

No meu trabalho todos têm a mesma função: Encher meu saco! Confesso que eles são exemplares cumpridores desse dever, parece que não têm o que fazer, só eu.

O Osvaldo é um mala, perfeito idiota que se acha engraçado, todos os dias ele me conta uma piada de bichinha. Ele é gordo e depois de rir da própria piada engasga com a banha da garganta gorda dele e começa a tossir em cima de mim. Por melhor que seja a piada eu só consigo pensar nos perdigotos-gigantes-e-voadores que saem daquele godzila cor-de-rosa.

A Ludmila é linda, porém burra como uma anta, besta como uma toupeira, a coitada é um zoológico de ignorância, ela é a musa dos Office-boys daqui, tem um bom-gosto para se vestir que só vendo, ela acha que uma saia verde-limão com uma blusa roxa de franjinhas combina perfeitamente com seu cabelo amarelo.
Mas o que me irrita nela é a sua implicância com minhas roupas pretas. Roupas, para a LudmUla, tem que brilhar.

Tem também meu chefe, como eu pude esquecer, ele é um pulha, só sabe tomar cafezinho e falar alto, sempre que aparece alguém importante por aqui ele se vira para um funcionário e diz:

_ Ei você, fez aquilo que te pedi?

Ele nunca pede nada, já disse que ele só toma cafezinho, ele faz isso para se exibir, queria ver se alguém perguntasse o quê que ele pediu só para ver a cara de bosta dele na hora, ele é um aborto.

Mas o Jonas gosta dele.

Jonas é o puxa-saco da repartição, ninguém vai com a cara dele, um rabugento incorrigível, quando alguém lhe diz ¿Bom dia¿ ele responde com um rosnado.

Menos para o chefe, o Jonas se transforma numa bichinha igual as das piadas do Osvaldo quando vê o chefe, só falta lamber o chão que ele pisa, Jonas escroto!

Ainda por cima, ganho pouco.

Circunlóquio - Ciscunlóquio

Circunlóquio _ Ciscunlóquio

Eu ia explicar o que é cisco, mas, é muito simples, cisco é pó, é lixo, é só...

Só minha prima não sabia, ela disse que cisco é o resto de algo que fora desintegrado, tenham paciência com ela, ela é especial (subentende-se excepcional).

Mas o cisco só é cisco quando ta no olho do próximo.
_ Ô, vê que trem é esse no meu olho _ diz o primeiro arregalando o olho com ajuda do dedo indicador.
_ Hum! _ analisa o segundo, entre lágrimas e pálpebras _ é só um cisco!
_ Assopra aí, vai. _ pede o primeiro.
_ Fu! _ assoprou o segundo _ Saiu?
_ Saiu, valeu!

Perceberam?

Quem tem o cisco no olho acha que é um trem, e até coisa maior.
Tirar cisco do olho é igual falar inglês, todo mundo sabe um pouco.

_ Põe bastante colírio no olho!
_ Pisca rapidinho!

Mas o que resolve mesmo é o bom e velho sopro!... Contudo... tente soprar o próprio olho, com força suficiente para tirar um cisco de lá, IMPOSSÍVEL!

Alguns ciscos não saem com piscadas rápidas e repetitivas, com colírio, com nada que se faça sozinho, recorra então ao sopro de um amigo!

Alguns ciscos ninguém resolve sozinho!

Ninguém é obrigado a conseguir tirar o cisco do olho de outro, mas, se obrigue a tentar!

Saturday, January 08, 2005

Profético e Apocalíptico

É triste pensar assim
nossa cultura defasada
e à uma triste ruína nossa raça voltada
infestada por interesseiros, gananciosos,
maus, vis, mentirosos ardilosos,
babacas conservadores, burocrátas

Terra de Sadan, de Osama
terra de George, de Lula,
de guerras, de fome, de tragédias, de pobreza, de miséria.

Terra sem amor, terra sem virtude
terra de ódio em magnitude,
terra de egoístas sem moral

Capitalizando o Caos!!!